Projeto de inserção social e integração com a educação básica que visa a participação voluntária de docentes e pós-graduandos do Programa de Pós-Graduação em Anestesiologia da USP para ensinar práticas básicas de suporte de vida em indivíduos com parada cardiorrespiratória a alunos e professores da educação básica em escolas públicas da Grande São Paulo.

Após um ano de atuação independente como Aprendendo a Salvar Vidas, o projeto da Anestesiologia-USP associa-se ao projeto internacional apoiado pela OMS Kids Save Lifes (Crianças Salvam Vidas) que, de forma lúdica, ensina crianças no atendimento a parada e melhora os resultados da reanimação em ambiente extra-hospitalar.

Como participar: voluntariando-se para as equipes de treinamento em suporte básico de vida.

Responsáveis na Anestesiologia USP: Prof.ª Dr.ª Maria José Carvalho Carmona e Dr. Matheus Fachini Vane

Histórico

Com este projeto, o Programa oficializou as atividades voluntárias eventuais realizadas anteriormente por alguns docentes e discentes relacionadas com o treinamento em Suporte Básico de Vida (BLS - basic life support) para alunos e professores da Educação Básica. Criou-se assim o Projeto Aprendendo a Salvar Vidas e, em outubro de 2015, iniciou-se o treinamento em suporte básico de vida e uso de desfibrilador elétrico automático em colégios de Ensino Médio da rede pública da Grande São Paulo e para alunos de 2º grau que realizam estágio do Projeto "Menor Aprendiz" do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Em 2016, o Projeto foi renomeado para Crianças Salvam Vidas, após contato com o pesquisador Bernd W. Böttiger, do Departamento de Anestesiologia e Medicina Intensiva do University Hospital of Cologne, Colônia, Alemanha. Esse anestesiologista desenvolve o projeto Kids Save Lives, com apoio da Organização Mundial de Saúde, e tem publicações recentes sobre seus resultados. Objetiva-se parceria futura com esse profissional para alinhamento deste projeto com aquele realizado na Alemanha.

A fase inicial de implantação do Projeto foi coordenada pela Prof.ª Dr.ª Maria José Carvalho Carmona e pelo Prof. Dr. Joaquim Edson Vieira, com a participação dos discentes Matheus Fachini Vane e Guinther Giroldo Badessa, sob supervisão do Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Junior e colaboração do Docente da Disciplina de Anestesiologia da UNIESP, Luiz Fernando Falcão.

Crianças Salvam Vidas (2016)

Em 2016, foram treinados no Programa Crianças Salvam Vidas, 30 alunos de Ensino Médio que eram estagiários do Projeto "Menor Aprendiz" do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Abaixo está a relação dos alunos treinados e a escola de origem:

  1. Ian Faias da Silva Belo (Escola Estadual Batista Cepelos)
  2. Willian de Lima Ribeiro (Escola Estadual Tadakiyo Sakai)
  3. Gabriela Raissa Verissimo Alves (Escola Estadual David Zeiger)
  4. Matheus Batista Silva dos Santos (Escola Estadual Carlos de Moraes Andrade)
  5. Washington Shaw da Silva (Escola Estadual Santo Dias da Silva)
  6. Ana Carolina Borges de Oliveira (Escola Estadual Herbert Baldus)
  7. Larissa Mickeli Lima da Silva (Colégio Porcino Rodrigues)
  8. Danilo Brito Silva (Escola Estadual Prof. Luiz Simione Sobrinho)
  9. Lucas Sales Borges dos Santos (Escola Estadual Professor Olzanetti Gomes)
  10. Josué dos Santos Rabello da Cruz (Escola Estadual Samuel Wainer)
  11. Renan Oseias Rocha (Escola Estadual Basilio Bosniac)
  12. Douglas Santos F. da Cruz (Escola Estadual Ilda Vieira Vilela)
  13. Kaliane Costa de Oliveira (Escola Mun.Ens.Fund. Leonardo Villas Boas)
  14. Emily Rezende Sobrinho (Escola Estadual Walter Negrelli)
  15. Nathalia Karoline Silva e Silva (Escola Estadual Alexandre Rodrigues Nogueira)
  16. Soraya Santos Maia de Oliveira (Escola Estadual Prof. Orlando Mendes de Moraes)
  17. Alisson de Sousa Holanda (Escola Estadual Deputado Salomão Jorge)
  18. Isaac Cassiano de Santana (Escola Estadual Deputado João Dória)
  19. Hiago Arruda Soares Silva (Escola Estadual Irmã Iria Kunz)
  20. José Artur de Oliveira Nunes (Escola Estadual Prof. Antonio Ruy Cardoso)
  21. Sara Gabriele de Paula (Escola Estadual Ana Rodrigues de Liso)
  22. Natan Cesar Sousa Calixto (Escola Estadual Major Telmo Coelho Filho)
  23. Atilla Candido Portela (Escola Estadual Eunice Marques de Moura Bastos)
  24. Anderson Pereira da Silva (Escola Estadual Toufic Joulian)
  25. Carlos Melquiades de Sena (Escola Estadual Prof. Landia Santos Batista)
  26. Victor Hugo Xavier Moraes (Escola Estadual Aquilino Ribeiro)
  27. Raquel Dias Martins da Silva (Escola Estadual Washington Alves Natel)
  28. Erika Pereira de Oliveira Galdino (Escola Estadual Prof. Antonio Bernardes de Oliveira)
  29. Mateus Schio Amancio de Sousa (Escola Estadual Prof. Lucia de Castro Bueno)
  30. Amanda da Silva Santos (Escola Estadual Washington Alves Natel)
Aprendendo a Salvar Vidas (outubro de 2015)

O treinamento foi realizado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Zacarias Antonio da Silva, em Cotia, SP. Na ocasião, também foram treinados a professora designada para acompanhar a atividade no colégio e o professor de Educação Física da turma. Abaixo estão os nomes dos 33 alunos treinados:

  1. Aline Silva Batista
  2. Amaury Silva dos Anjos
  3. Ananda da Silva Carrião
  4. Beatriz Carneiro Araújo
  5. Bruna Ferreira
  6. Daniel Santana Gomes
  7. Danilo Gabriel C. Silva
  8. Delson Bernardo
  9. Denilson Silva de Jesus (jovem aprendiz, CIEE)
  10. Ellyson Soares
  11. Guilherme de Lima Domingo
  12. Iago Corradi Carvalho
  13. Jaqueline Aparecida Costa Rosa
  14. Jéssica da Silva Marcelino
  15. João Pedro Casemiro Salviano
  16. John Maiki Ferreira Santos Silva
  17. Jonathan Alves Alcântara
  18. Karoline Raiany Sena Pinheiro Viana
  19. Larissa da Silva Nascimento
  20. Leonardo da Silva
  21. Leticia di Felippo Bortolucci
  22. Luana Dionísio Moraes
  23. Lucas Sales Borges dos Santos (jovem aprendiz, CIEE)
  24. Lucas Soares Faustino
  25. Mario Sergio Silva Leão
  26. Nathalie Eachi
  27. Pablo Barbosa de Souza
  28. Rafaela Sergio Borges
  29. Ricardo Francisco da Silva
  30. Soraia Rocha de Oliveira
  31. Stefane Silva Dantas
  32. Tacyane Moraes Moreira
  33. Thaynná Stephany Barboza Costa
Ficha técnica
Justificativa do projeto: a parada cardiorrespiratória (PCR) é urgência que demanda rapidez no atendimento, uma vez que a tolerância dos órgãos a situações de baixa quantidade de oxigênio é muito limitada. Apenas com 3-4 minutos de PCR já é suficiente para desencadear lesão cerebral irreversível.

Assim, o diagnóstico e o manejo inicial devem ser feitos o mais rápido possível. Entretanto, a cada três vítimas de PCR, apenas uma recebe ajuda de um transeunte. Considerando que no Brasil ocorrem em torno de 200.000 PCR anualmente, sendo metade fora do ambiente hospitalar. Com isso, pode se estimar que mais de 33 mil casos de PCR deixam de ser atendidos por desconhecimento da população, falta de segurança no atendimento ou medo.

Diversos países, na tentativa de reduzir os desfechos desfavoráveis da PCR, incorporaram no currículo escolar aulas para a reanimação cardiopulmonar e o uso do desfibrilador externo. As escolas do ensino médio são locais perfeitos para disseminação do conhecimento do assunto para a população, uma vez que adolescentes podem fazer a compressão torácica com a mesma eficácia que um adulto e frequentemente estão presentes na cena da emergência médica.

Medidas simples, como aprender a reconhecer os sintomas, e principalmente, perceber a proximidade de uma parada cardíaca, pedir ajuda ao serviço de emergência e iniciar as compressões torácicas corretamente podem aumentar em até quatro vezes as chances de sobrevivência. O projeto proposto, a ser executado oficialmente a partir do ano de 2015, prevê atividades teórico-práticas com duração ao redor de três horas e participação voluntária de docentes e discentes do Programa de Pós-graduação.

Objetivos do projeto: o objetivo é ensinar práticas básicas de suporte de vida, a serem aplicadas em indivíduos com parada cardiorrespiratória, para alunos e professores do ensino médio. Como objetivo educacional espera-se que os participantes do curso adquiram conhecimento para reconhecer uma parada cardiorrespiratória, a gravidade e a urgência do quadro. Dentre as habilidades, espera-se que ao final do curso os alunos saibam iniciar o tratamento de uma parada cardiorrespiratória, chamar ajuda corretamente, executar a técnica de compressão torácica e manusear adequadamente um desfibrilador elétrico automático, demonstrando proatividade na condução da parada cardiorrespiratória.

Descrição da atividade: a atividade de treinamento será realizada com apresentação teórica curta seguida de atividade prática com manequins. Os alunos do treinamento serão divididos em pequenos grupos (máximo de 20 alunos) para realização do cronograma proposto. Cada sessão será ministrada por quatro professores, selecionados entre docentes e discentes do Programa de Pós-Graduação de Anestesiologia e previamente qualificados para o ensino de suporte básico de vida.

As aulas são ministradas em formato teórico para introdução ao assunto, seguido por treinamento prático com manequins para treinamento e capacitação no procedimento de suporte básico de vida.

Avaliação: será realizada avaliação da participação dos alunos na atividade teórica e prática, autoavaliação e comparação do pós-teste com o pré-teste.

Financiamento

As duas primeiras edições foram apoiadas financeiramente pelo Centro de Estudos de Anestesiologia e Reanimação (CEDAR). Para os futuros treinamentos, está em andamento a parceria entre o CEDAR, a empresa Phillips (que apoia alguns projetos de Suporte Básico de Vida junto à população adulta) e a Sociedade Paulista de Anestesiologia. Essa parceria permitirá o treinamento de um número maior de alunos a cada sessão e a implementação definitiva do Projeto.

Bibliografia
  1. Perkins GD, Jacobs IG, Nadkarni VM, Berg RA, Bhanji F, Biarent D, et al. Cardiac arrest and cardiopulmonary resuscitation outcome reports: update of the Utstein Resuscitation Registry Templates for Out-of-Hospital Cardiac Arrest: a statement for healthcare professionals from a task force of the International Liaison Committee on Resuscitation (American Heart Association, European Resuscitation Council, Australian and New Zealand Council on Resuscitation, Heart and Stroke Foundation of Canada, InterAmerican Heart Foundation, Resuscitation Council of Southern Africa, Resuscitation Council of Asia); and the American Heart Association Emergency Cardiovascular Care Committee and the Council on Cardiopulmonary, Critical Care, Perioperative and Resuscitation. Circulation. 2015;132(13):1286-300.
  2. Perkins GD, Jacobs IG, Nadkarni VM, Berg RA, Bhanji F, Biarent D, et al. Cardiac Arrest and Cardiopulmonary Resuscitation Outcome Reports: Update of the Utstein Resuscitation Registry Templates for Out-of-Hospital Cardiac Arrest: A Statement for Healthcare Professionals From a Task Force of the International Liaison Committee on Resuscitation (American Heart Association, European Resuscitation Council, Australian and New Zealand Council on Resuscitation, Heart and Stroke Foundation of Canada, InterAmerican Heart Foundation, Resuscitation Council of Southern Africa, Resuscitation Council of Asia); and the American Heart Association Emergency Cardiovascular Care Committee and the Council on Cardiopulmonary, Critical Care, Perioperative and Resuscitation. Resuscitation. 2015;96:328-40.
  3. Bottiger BW, Bossaert LL, Castren M, Cimpoesu D, Cimpoesu M, Greif R, et al. Kids Save Lives - ERC position statement on school children education in CPR: "Hands that help - Training children is training for life". Resuscitation. 2016.
  4. Lukas RP, Van Aken H, Molhoff T, Weber T, Rammert M, Wild E, et al. Kids save lives: a six-year longitudinal study of schoolchildren learning cardiopulmonary resuscitation: Who should do the teaching and will the effects last? Resuscitation. 2016;101:35-40.
  5. Bottiger BW, Van Aken H. Kids save lives--Training school children in cardiopulmonary resuscitation worldwide is now endorsed by the World Health Organization (WHO). Resuscitation. 2015;94:A5-7.
  6. Bohn A, Lukas RP, Breckwoldt J, Bottiger BW, Van Aken H. 'Kids save lives': why schoolchildren should train in cardiopulmonary resuscitation. Curr Opin Crit Care. 2015;21(3):220-5.